shopping-bag 0
Items : 0
Subtotal : 0.00
View Cart Check Out

DEFESA IMPLACÁVEL,
ATAQUE DEMOLIDOR

Foto Margarida Cautela (www.facebook.com/MargaridaCautelaPhotography)

Uma vitória por 51-8 que os Lisboa Devils impuseram aos rivais Lisboa Navigators foi o resultado de um jogo de sentido único e que desde cedo os diabos vermelhos procuraram controlar.

Como vem sendo hábito sempre que os Lisboa Devils se deslocam ao campo do Vitória Clube de Lisboa, as bancadas estavam muito compostas com quase 200 pessoas a ver o derby lisboeta de futebol americano. A verdade é que assistiram a uma exibição de gala da equipa visitante!

E era impossível começar melhor: depois de um fumble dos Lisboa Navigators logo no primeiro snap, o Ataque dos Devils fez questão de mostrar ao que vinha e colocou de imediato os primeiros 6 pontos no placard, por intermédio de Pedro Almeida.

Chegada a altura de voltar a entrar em campo, a Defesa disse “presente” e soube colocar ponto final ao drive dos hexacampeões nacionais.

Ainda no primeiro quarto e com o Ataque de novo em campo, o estreante quarterback Joey Bradley levou a sua equipa a dilatar a vantagem e novamente por Pedro “Flash” Almeida.

Foto Margarida Cautela (www.facebook.com/MargaridaCautelaPhotography)

Pedro Almeida dos Lisboa Devils a caminho de mais um touchdown.

O jovem mas já muito experiente atleta dos Devils ainda ia a meio da sua contagem pessoal de touchdowns. 13-0, com o kicker Ruben de Barros a concretizar o pontapé extra.

Segundo quarto fundamental para selar o jogo

Numa jogada de passe, o versátil quarterback e wide receiver Bernardo Solipa marca um touchdown de belo entendimento com o seu colega Joey Bradley! Estava feito o 19-0.

Talvez no único momento de verdadeira desconcentração da Defesa dos diabos, os Lisboa Navigators souberam aproveitar da melhor forma as 40 jardas de penalidades dadas de bandeja pelos Devils. O veterano running back Marco Madeira fez juz à sua experiência e permitiu aos hexacampeões colocarem os primeiros seis pontos do seu lado do marcador. Na conversão para dois pontos, Nélson Fidalgo recebe sozinho dentro da endzone adversária. 19-8 e apesar de ter dado a sensação de reviravolta na tendência do jogo, estes foram os últimos pontos da tarde por parte da equipa azul e branca.

Parentesis para uma nota: apesar do touchdown sofrido, excelente espírito de entrega e sacrifício para uma Defesa combativa e lutadora, que não contou a full-time com elementos fundamentais como Bruno Fonseca (suspenso), David Silva (expulso no drive que dá origem ao touchdown adversário) ou João Almeida que, apesar de convocado, não pôde dar o seu contributo habitual.

Sacks, interceptions (uma por Ruben de Barros, outra de André Pacheco) e three-and-outs frente aos campeões nacionais… tudo sem um único jogador americano na Defesa dos diabos.

A Defesa a parar mais um ataque dos Navigators

A Defesa a parar mais um ataque dos Navigators.

A caminho do intervalo, dois momentos altos, quer pela altura do protagonista quer pela beleza do entendimento entre quarterback e receiver.

Collin Franklin, o antigo jogador da NFL, foi chamado à liça e mostrou todos os seus predicados, num touchdown de passe com mais de 50 jardas e que deixou as bancadas em delírio. 25-8.

Já dentro do two-minute warning, novo entendimento entre Bradley e Franklin, com o gigante norte-americano (1,98m) a receber novo passe longo e a facturar o segundo touchdown da conta pessoal. 31-8 ao intervalo, com a mensagem da equipa técnica a ser clara: o resultado não estava fechado e cabia aos Devils continua a carregar no acelerador.

Saber gerir o jogo… e o relógio

No terceiro quarto, nova dose dupla de Pedro Almeida: dois passes, um longo e um slant, dois touchdowns. Mais eficaz era impossível! 43-8 com bastante tempo para jogar.

Claro que com o resultado já estabelecido, era do interesse dos Devils fazer avançar a bola no terreno de jogo. Foi então a vez dos running backs Willian La Prado, Malcolm Gasque e Ricardo Jaquité brilharem, o que permitiu, ao mesmo tempo, correr o relógio.

Malcolm Gasque a ganhar jardas e a roubar tempo ao relógio.

Malcolm Gasque a ganhar jardas e a roubar tempo ao relógio.

Para concluir a chave de ouro essas corridas, o wide receiver Pedro Flores aproveitou a pontaria do seu quarterback e deixou marca na partida. Quem o fez foi também Ricardo Jaquité, bem sucedido na marcação de dois pontos extra. 43-8 a quase dois minutos do final da partida.

Tempo ainda para registar a primeira interception do jogador André Pacheco, rápido a adivinhar a trajetória do passe de Miguel Miranda, antigo atleta dos Lisboa Devils e um dos actuais quarterbacks dos Lisboa Navigators.

Final da partida no campo do Victória Clube de Lisboa, estava assim consumada a primeira vitória da temporada, que se avizinha longa e combativa, num grupo “da morte” que onde qualquer das equipas que defrontemos será ainda mais difícil que a outra.

Impossível deixar passar em claro o óbvio: desde 17 de Fevereiro de 2013 que os Lisboa Navigators não sofriam uma derrota (44-32 diante dos Crusaders CFA), o que dá ainda maior importância ao feito do passado domingo mas, ao mesmo tempo, aumenta a responsabilidade recai sobre os Lisboa Devils. Não é uma andorinha que faz a primavera por isso a concentração e o foco da equipa estão já no próximo desafio.

Altos e baixos

Três notas muito positivas: o público cada vez em maior número faz antever uma época de boas casas, num campeonato que se prevê muito competitivo e disputado; o fair-play demonstrado pelas duas equipas na maioria dos momentos (manchado apenas pelas expulsões de Pedro Queiroga dos Navigators e David Silva dos Devils); e, por fim, destaque para a equipa de arbitragem, que soube estar à altura do jogo e dos seus intervenientes.

De referir que, para evitar paragens prolongadas na partida, os Lisboa Devils informaram o quinteto de zebras que haviam disponibilizado uma ambulância adicional, estacionada nas imediações do campo, para o caso de ser necessário algum transporte urgente de jogadores para o hospital como o ocorrido na meia-final da época passada sem haver necessidade de parar o desafio.

Por fim, nota de infelicidade para o antigo jogador dos Devils e actual Navigator Edilson “Eddie” Matos, que contraiu lesão numa jogada de azar. Ao atleta, as rápidas melhoras.

Esta vitória coloca para já os Lisboa Devils na frente do Grupo Sul, ex-aequo com os Algarve Sharks, e em terceiro a nível nacional. O próximo jogo dos Lisboa Devils joga-se a 19 de Dezembro, pelas 15h, no campo do Sport Lisboa e Olivais, diante dos Crusaders CFA.

Convocados

ATAQUE

Joey Bradley, Diogo Cassiano, Willian La’Prado, Luís Abreu, André Cunha, Rui Rodrigues, Miguel Valente, André Costa, Malcolm Gasque, Ricardo Fonte, Jerónimo Sebastião, Bernardo Solipa, Pedro Almeida, Ricardo Jaquité, Frederico Ferreira, Paulo Fonseca, José Martins, Renato Martins, André Amorim, Collin Franklin, Jorge Lourenço, Pedro Flores e Bruno Cardoso.

DEFESA

Marco Favinha, Pedro Fernandes, David Silva, Fernando Cardoso, Filipe Conceição, André Pacheco, Lourenço Tavares, David Martins, Bruno Fonseca, Hugo Reis, Luís Rocha, Pedro Bengaló, Ruben de Barros, João Almeida, Paulo Viegas, Paulo José Martins, Ivo Nascimento, Paulo Nunes, Luis Miguel Sepulveda, António Estevão, Antoine Fernandez, Nuno Almeida e Leandro Baptista.

Capitães: Joey Bradley, Diogo Cassiano, Ivo Nascimento e David Martins.

Resumo do jogo (Créditos: Lisboa Devils e 1080 Produções)