shopping-bag 0
Items : 0
Subtotal : 0.00
View Cart Check Out

NOITE DAS DEFESAS IMPEDE SUBIDA AO SEGUNDO LUGAR

Palestra do Treinador Principal André Amorim momentos antes do início do jogo.

Palestra do Head Coach momentos antes do início do jogo.

Num jogo entre duas equipas que já se conhecem bem (cinco encontros e dois amigáveis em época e meia) aconteceu o que poucos espectadores esperariam: uma partida taco-a-taco, onde os Lisboa Devils se bateram olhos nos olhos com o segundo melhor ataque da Liga e uma das melhores defesa.

Cedo os diabos mostraram que vinham com vontade de inverter o resultado da primeira volta, onde os Crusaders venceram por 61-26, mas esbarraram numa forte e determinada Defesa da equipa de Cascais.

Num jogo disputado com um forte vento, os Devils souberam aproveitar os fumbles da equipa adversária, obrigando o Ataque dos Crusaders a cometer erros e a fazer sucessivos three and out, num resultado que teimava em não sair do 0-0. As adversas condições atmosféricas foram factor determinante nas Special Teams e nos punts, visto ambos os kickers (curiosamente, os quarterbacks de cada equipa) terem demonstrado muitas dificuldades em colocar a bola na área adversária, em particular quando contra o vento.

A história da primeira parte do jogo fica ainda marcada por um touchdown anulado à equipa da casa fruto de um illegal block in the back.

A caminho dos balneários mantinha-se o nulo e a segunda parte foi aquilo que qualquer adepto de Futebol Americano gosta: emoção e incerteza do resultado até ao final.

Logo a abrir a primeira parte, os Lisboa Devils recebem a bola nas 40 jardas e chegam ao touchdown mas que também foi anulado por suposta personal foul do número 92, Miguel Valente.

0-0 no placard e as duas equipas continuavam no jogo, ficando no ar a ideia de que os erros do adversário seriam fulcrais para decidir o vencedor. O que se revelou verdade já que os Crusaders se adiantaram no marcador através de um touchdown de corrida do seu quarterback, aproveitando um fumble dos Devils a meio do terreno.

6-0 após falha na conversão de dois pontos.

Na resposta, o Ataque dos Devils não conseguiu concretizar quando tinha a bola em seu poder e haviam de ser os Crusaders a marcar novamente, por intermédio do duas vezes MVP Jesuíno Furtado. Com boa concretização de dois pontos o resultado ficava agora em 14-0, a cerca de cinco minutos do final.

Quando todos pensavam que o resultado estaria feito, eis que os Devils aproveitam da melhor forma um 4th down não concretizado pelos Crusaders e que deixou a nossa equipa nas 20 jardas do adversário.

Num momento de excelente execução técnica, quer de Bernardo Solipa quer do seu Wide Receiver Bruno Cardoso, os Devils marcam um touchdown de passe e reentram no jogo.

14-6 com pouco mais de dois minutos para jogar!

Touchdown de Bernardo Solipa para Bruno Cardoso (video).

Touchdown de Bernardo Solipa para Bruno Cardoso (video)

Após um onside kick que quase dava nova posse de bola à nossa equipa, os Crusaders ficam no nosso terreno e, já dentro do two-minute warning, a Defesa dos diabos força um fumble ao quarterback António Pedro Santos, a premiar o esforço de quem nunca desiste.

Sem acusar a pressão de poder empatar o jogo, os Devils demonstraram que queriam outro desfecho neste importante jogo mas o final da partida acabou por ficar marcado por nova decisão polémica da equipa de arbitragem, ao apitar uma jogada antes de a mesma terminar e, ainda assim, tendo atribuído à equipa da casa uma intercepção sem que esta tenha sido completada antes do apito do árbitro, o que inviabilizou qualquer tentativa de colocar mais pontos no placard.

Apesar de ter sido um jogo duro e disputado jarda a jarda, destaque para o desportivismo demonstrado pelas duas equipas ao longo do jogo, que teve uma arbitragem que em momentos-chave não ficou à altura do trabalho produzido quer pelos Lisboa Devils quer pelos Crusaders CFA, ainda para mais se tivermos em linha de conta que o resultado terminou com uma vantagem tangencial.

O próximo jogo dos Lisboa Devils é no Algarve, diante dos Algarve Pirates, a 11 de Abril, pelas 19h30.

Convocados

ATAQUE

André Amorim, André Costa, André Cunha, André Pinheiro, Bernardo Solipa, Bruno Cardoso, Bruno Pereira, David Silva, Diogo Cassiano, Frederico Ferreira, Guilherme Costa, Jerónimo Sebastião, Luís Abreu, Marco Favinha, Miguel Valente, Pedro Almeida, Pedro Flores, Rafael Pacheco, Ricardo Costa, Ricardo Fonte, Rui Rodrigues, Sérgio Moreno e Willian La’Prado.

DEFESA

André Jesus, André Pacheco, Antoine Fernandez, António Estevão, Bruno Fonseca, David Martins, Dinu Buzut, Fábio Alves, Fernando Cardoso, Filipe Conceição, Frederico Martins, Ivo Nascimento, João Almeida, Lourenço Tavares, Luís Miguel Sepúlveda, Nuno Almeida, Paulo Fonseca, Paulo Martins, Paulo Nunes, Pedro Fernandes, Pedro Mouta e Ruben de Barros.

Resumo do jogo (FA Portugal)